História, Títulos, Ídolos e notícias do Sport Clube do Recife

“O Sport será um autêntico campeão, pois nasceu sob o signo da valentia e dele jamais se apartará.” – Guilherme de Aquino Fonseca, 1905.

 

História, sedes e estruturas

 

Guilherme de Aquino, constituinte de uma família pernambucana bem sucedida, tinha pais bastante exigentes, quanto ao futuro dos seus filhos. Devido a isso, Guilherme foi mandado a Inglaterra para estudar e lá se tornou engenheiro na Universidade de Cambridge. Nesta altura, a Inglaterra já respirava futebol, deixando Guilherme fascinado pelo novo esporte até então desconhecido por ele, daquele país.

 

Quando retornou, trouxe consigo não somente um diploma e conhecimento, mas também admiração pelo futebol. Pensava que com sua aptidão e destreza latina, seria possível jogar melhor que o ingleses. A datar dos primeiros contatos com a bola, o jovem idealizou a criação de um clube de futebol, que mais tarde vira a ser o Sport.

 

Então, com suas próprias finanças, comprou bolas, apitos, camisas e todo material necessário para o time. Durante aproximadamente dois anos, se reuniu com amigos, para estabelecer um propósito para o clube.  Definido, dia 13 de maio de 1905, ao meio-dia, na Associação dos Empregados do Comércio do Recife, nasceu o Sport Club do Recife.

Junto também nascia o futebol pernambucano, já que o futebol ainda não era presente na cidade e não há evidencias de qualquer outro time no estado antes da fundação do Sport Club do Recife.

 

Foi também decidido a diretoria do clube:

  • Presidente – Elysio Alberto Silveira;
  • Vice-presidente – Boaventura Alves Pinho;
  • 1º Secretário – Mário Sette;
  • 2º Secretário – Frederico Rúfilo de Oliveira;
  • Tesoureiro – Oscar Torres;
  • Procurador – Alberto Amorim;
  • Diretor de Esportes Terrestres – Guilherme de Aquino Fonseca;
  • Diretor de Esportes Marítimos – Paulino de Miranda;
  • Diretor da Tuna Musical – Carlos Meneses.

 

Algum tempo depois, pouco mais de um mês, o clube se viu jogando pela primeira vez contra o English Eleven, que apesar de ter uma reputação respeitada por serem considerado “os pais do futebol”, não tiveram vitória e o clube brasileiro conseguiu um honroso empate.

 

Num intervalo curto de tempo, o clube conquistou muitas conquistas, sua primeira vitória (1906), seu primeiro título (1916), seu primeiro bicampeonato (1917) e assim sucessivamente.

Desde então, Sport Club do Retiro é personagem de uma história repleta e abastada de glórias, com títulos, homens visionários em sua diretoria, e parte de sua conquista é o orgulho de ter a maior torcida de Pernambuco.

O clube se tornou um dos mais fortes do Brasil e por se encaixa na categoria de desporto, que visa toda forma de praticar atividade física de forma metódica, é detentor de muitas conquistas, nos esportes olímpicos, e nos mais diversos valores.

 

Cada um colaborando com o que podia para o desenvolvimento e progresso do clube, conquistaram sua primeira casa, onde ainda mandam seus jogos, atualmente, em 1935, o estádio da Ilha do Retiro, nome dado por ter sido construído sobre uma ilha).

 

Em 1937, dois anos depois, foi inaugurado o estádio com um amistoso contra o Santa Cruz.

 

Sem dúvidas, o estádio de lá pra cá passou por muitas mudanças e muitas reformas, sendo a primeira delas foi pra recepcionar a Copa do Mundo em 1950.

 

Hoje tem a capacidade de 30 mil torcedores.

 

Uniformes

 

As cores vermelho e preto são suas cores predominantes desde a sua fundação e são descritos em seu estatuto e obedecem aos seguintes padrões:

“I – Camisa com faixas horizontais cores preta e vermelha, alternadamente, com calção branco ou preto e meiões pretos;

II – Camisa, calção e meiões brancos;

III – Camisa, calções e meiões pretos, com detalhes em vermelho;

IV – Camisa, calções e meiões dourados, com discretos detalhes em vermelho e preto;”

 

 

 

Símbolos e escudos

 

O prevalecente símbolo de identificação do clube desde sua fundação é o seu mascote, o Leão da Ilha.

 

A história por trás do símbolo é um tanto singular e curioso. Até 1919, O leão e o clube não tinham entre si uma relação significativa. Foi quando, Arnaldo Loyo suscitou uma excursão para o time pernambucano.

 

Diversas partidas foram palco de conquistas, mas uma em especial valeria um Troféu, onde no mesmo estava registrado a imagem de um leão sobre ataque. Neste, o Sport conseguiu ganhar de nomes importantes e a partir daí, o símbolo passou a ter significa para o Sport Club do Recife, e o escudo é o mesmo até hoje.

 

Títulos

 

Competições Estaduais

Campeonato Estadual 1916, 1917 (invicto), 1920, 1923, 1924, 1925, 1928, 1938, 1941 (invicto), 1942, 1943, 1948, 1949, 1953, 1955, 1956, 1958, 1961, 1962, 1975, 1977, 1980, 1981 (Supercampeão), 1982, 1988, 1991, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998 (invicto), 1999, 2000, 2003, 2006, 2007, 2008, 2009 (invicto), 2010, 2014, 2017, 2019

Copa Pernambucano 2003 e 2007

Torneio Início do Pernambucano 1920, 1923, 1924, 1925, 1927, 1928, 1932, 1935, 1940, 1945, 1957, 1958, 1959, 1960, 1966, 1968, 1974 e 1977

Torneios Interestaduais

Troféu Leão do Norte (Belém/PA) 1919

Torneio Quadrangular de Recife 1955

Torneio Quadrangular Rubro Negro (Ilhéus-BA) 1962

 

  • Presidentes

 

No decorrer de sua história, o Sport teve muitos presidentes assumindo seu controle, se destacando, claro, os que proporcionaram ao time grandes conquistas. Os mais citados em ordem cronológica são:

 

  • Aldemar da Costa Carvalho
  • Jarbas Guimarães
  • José Moura
  • José Antônio Alves
  • Homero Lacerda
  • Luciano Bivar
  • Wanderson Lacerda
  • Severino Otávio
  • Milton Bivar

 

 

  • Maiores ídolos

 

Personagens de muitas conquistas do clube, alguns nomes foram muito importantes na história do clube. Abaixo listaremos alguns:

 

  • Ademir de Menezes
  • Leonardo
  • Juninho Pernambucano
  • Magrão
  • Durval

 

  • Curiosidades

 

Sendo um clube de desportos, o Sport Club do Recife não possui apenas um clube de futebol, mas também de basquete, futebol de mesa, futsal, handebol, hóquei, judô, natação, remo, taekwondo, tênis de mesa e vôlei.

 

Foi no Sport Club do Recife que um estrangeiro treinou pela primeira vez um time pernambucano.

 

Para comprar o terreno da Ilha do retiro, o clube vendeu todas as taças que haviam conquistado até então.

 

Pelé com 17 anos foi rejeitado pelo clube, por ser um jovem desconhecido. Que desperdício!      

 

Redação

Pós graduado em jornalismo tenho mais de 5 mil artigos publicados na internet. Experiência em vários sites de notícias brasileiros. Morador de Formosa/GO, decidi criar o F7 para retratar a verdade nua e crua da cidade. Contato: hugo.reis@f7news.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *